Como qualificar a mão de obra local para suprir a demanda das mais de 200 mil vagas de empregos diretos e indiretos que serão criadas com os investimentos que estão sendo feitos no setor industrial do estado. A questão foi debatida no Seminário Oportunidades de Desenvolvimento e Desafios Educacionais no Maranhão realizado ontem pelo Instituto de Cidadania Empresarial do Maranhão (ICE-MA) e pela Associação Brasileira de Recursos Humanos secção Maranhão (ABRH-MA), com o apoio da Vale e da Alumar. 

Para a presidente da ABRH-MA, Lara Mendes, a iniciativa do seminário foi de grande valia. “É uma situação incentivadora e preocupante, pois, teremos a criação de empregos, mas não o aproveitamento da mão de obra local, o que dificulta o crescimento econômico e social dessas pessoas”. Mediante o cenário fora gerado um  Acordo Regional de Formação e Capacitação de Profissionais Especializados. Participam dessa parceria empresários, Instituições de Ensino Superior, Entidades de Classe e Governo Estadual.

Os diversos investimentos que estão sendo feitos no Maranhão somam R$ 100 bilhões e vão gerar desenvolvimento econômico e social em todo o estado. O secretário de Estado de Indústria e Comércio, Maurício Macedo, disse que, ao mesmo tempo em que o Maranhão vive um momento de grandes oportunidades, está diante do que ele chamou de um grande gargalo educacional. Para o presidente do Conselho da ABRH-MA, Edilson Lira, “a estratégia de incluir os jovens e promover o desenvolvimento é de todos”, disse.

site abrh